Os homens de Gibeão mandaram dizer a Josué, no arraial de Gilgal: Não retires as tuas mãos de teus servos; sobe apressadamente a nós, e livra-nos, e ajuda-nos, pois todos os reis dos amorreus que habitam nas montanhas se ajuntaram contra nós. Então, subiu Josué de Gilgal, ele e toda a gente de guerra com ele e todos os valentes. Disse o SENHOR a Josué: Não os temas, porque nas tuas mãos os entreguei; nenhum deles te poderá resistir. Josué lhes sobreveio de repente, porque toda a noite veio subindo desde Gilgal.   O SENHOR os conturbou diante de Israel, e os feriu com grande matança em Gibeão, e os foi perseguindo pelo caminho que sobe a Bete-Horom, e os derrotou até Azeca e Maquedá. Sucedeu que, fugindo eles de diante de Israel, à descida de Bete-Horom, fez o SENHOR cair do céu sobre eles grandes pedras, até Azeca, e morreram. Mais foram os que morreram pela chuva de pedra do que os mortos à espada pelos filhos de Israel. Então, Josué falou ao SENHOR, no dia em que o SENHOR entregou os amorreus nas mãos dos filhos de Israel; e disse na presença dos israelitas: Sol, detém-te em Gibeão, e tu, lua, no vale de Aijalom. E o sol se deteve, e a lua parou até que o povo se vingou de seus inimigos. Não está isto escrito no Livro dos Justos? O sol, pois, se deteve no meio do céu e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro. Não houve dia semelhante a este, nem antes nem depois dele, tendo o SENHOR, assim, atendido à voz de um homem; porque o SENHOR pelejava por Israel. (Josué 10:6-14)

Josué fizera uma aliança precipitada com os homens de Gibeão (Josué 10:1-5) que tinham agido de forma astuta para preservarem suas vidas diante da ameaça que o povo de Israel representava. Talvez em nossa cultura ocidental alguém sugerisse que a aliança fosse revogada, já que ela tinha sido estabelecida em premissas falsas. Mas é interessante que na cultura oriental isso não era uma opção. Israel fizera uma aliança e ela tinha que ser respeitada (Gálatas 3:15).

Pouco tempo depois, a notícia de que essa aliança tinha sido feita chegou aos ouvidos dos povos da região e eles declararam guerra a Gibeão. Os Gibeonitas imediatamente apelaram para seus parceiros de aliança, os homens de Israel, por socorro e livramento. Sabiam que havia poder em Israel e no Deus de Israel.

Josué teve que entrar nessa guerra. A Bíblia não registra hesitação nem questionamento. Tem-se a ideia de que essa atitude era algo automático. Afinal, parceiros de aliança se ajudam. E Israel teve que guerrear a favor de Gibeão.

A luta é descrita em Josué, capítulo 10, mas algumas coisas chamam a atenção:

  1. Josué entra na batalha, mas Deus lhe dá uma Palavra de vitória (Josué 10:8).
  2. Josué não luta sozinho. A descrição fala da atuação de Josué e da atuação dos céus nessa batalha. É como se a criação comandada pelo Senhor da criação entrasse na batalha com Josué (Josué 10:11-13).
  3. Aliás, a batalha ali literalmente pertenceu ao Senhor porque a Bíblia fala que mais foram os derrotados pela chuva de pedras do que pelas armas humanas (Josué 10:11).
  4. Outro fato que chama a atenção é que a Bíblia nem registra a atuação de Gibeão na batalha. Dá ênfase apenas a Josué e ao Senhor guerreando lado a lado.
  5. Deus usa aquela situação, ainda que originada numa falha, para trazer uma lição e um despojo para o povo de Deus (Josué 10:25).

O que impressiona nessa situação é o poder de uma aliança. Não apenas a aliança humana entre Josué e Gibeão, e as implicações que isso trouxe. Gibeão realmente foi beneficiado por essa aliança com Israel (o que trazia implicitamente o socorro divino), mas o que realmente impressiona é a aliança de Deus com Josué. O Senhor entrou na batalha com Josué para proteger Seu povo e derrotar o inimigo em comum. A luta de Josué era a Sua luta.

Você tem batalhas a enfrentar? Aqueles com quem você tem uma aliança estão em perigo? Os reis se coligaram contra vocês (lutas das mais diversas frentes)?

E aí vem a pergunta chave: Você tem uma aliança com Deus?

Josué não se apartava da tenda; era um buscador de Deus. Ele já mostrava interesse por Deus mesmo antes de se tornar o líder em lugar de Moisés. Isso fez toda diferença em sua missão de vida.

Quando a batalha ocorreu, Deus entrou na batalha com Josué. Os recursos do céu se colocaram à disposição de Josué para vencer a guerra. Uma guerra que a princípio não era uma questão pessoal dele, mas envolvia pessoas com quem Josué tinha uma aliança.

Êxodo 33:11  Falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala a seu amigo; então, voltava Moisés para o arraial, porém o moço Josué, seu servidor, filho de Num, não se apartava da tenda.

Busque a Presença, não se aparte da tenda do encontro no seu  dia-a-dia, faça uma aliança com Deus e viva as implicações e benefícios dessa aliança. 

E se a batalha chegar, Deus entrará na batalha com e por você. 

O Senhor dos Exércitos lutará a seu favor. 

Em Cristo,

Pra. Celia Clavello

Share →